Anuncie aqui!

CONSERVANDO A BOA CONSCIÊNCIA

16 de mar de 2011
michel reis
Paulo disse a Timóteo que deveria seguir algumas instruções para combater o bom combate e, que deveria guardar a fé e a boa consciência o que, rejeitando alguns, vieram a naufragar na fé. 1 Tm. 1:19
Atualmente é fácil abrir mão de uma consciência tranqüila, limpa. Principalmente, quando se é tentado a obter alguma coisa que se deseja mas que não se pode ter pelos meios legais. Ou, quando se depara com uma oportunidade de usufruir de prazeres e/ou emoções ilícitas ou proibidos.
Como cristãos é importante estarmos cientes da importância de mantermos a consciência limpa em todos os aspectos. Ter a consciência limpa é ter a certeza de estar fazendo a coisa certa e de que não precisa temer coisa alguma. Paulo afirmou no texto acima que alguns que rejeitaram manter a boa consciência naufragaram na fé. Isso se dá porque, depois de algum tempo sem julgar a si mesmo, perde-se a noção do que é santo. Isto significa perder a noção do próprio Deus.

Todos sabemos que a salvação é presente de Deus pela nossa fé na ressurreição de Jesus. Ou seja, se cremos com o coração e confessamos com a boca, somos salvos. Não nos foi cobrado nada para que tal salvação chegasse a nós. Entretanto, Jesus deixou claro que existe um preço a ser pago para que andemos nesta mesma salvação. Existem muitos cristãos que ainda vivem escravizados debaixo do jugo da lei pela falta de conhecimento ao passo que há outros que fazem um mal uso da sua liberdade. Paulo foi enfático ao dizer que não deveríamos usar a nossa liberdade para dar ocasião à carne. Esses que usam mal a sua liberdade para satisfazer os seus próprios desejos humanos e carnais justificam as suas ações no fato de serem livres e de que não precisam se privar das coisas boas da vida.

Jesus disse que se alguém quisesse segui-lo deveria negar a si mesmo, tomar a sua cruz e então, somente então, segui-lo. Isso deixa óbvio que é impossível seguir Jesus sem antes negar a si mesmo. Isso é o que tem deixado muita gente indisposta no seu “caminhar cristão”. É importantíssimo estarmos dispostos a negar a nós mesmos, dizendo não às vontades da nossa carne para que mantenhamos a consciência limpa e o nosso canal de comunhão com Deus desobstruído.

João disse que se o nosso coração não nos condena temos confiança diante de Deus. Essa confiança é o que nos dá segurança para chegarmos com ousadia diante dEle e pedirmos alguma coisa. Essa confiança é o que nos dá a certeza de que estamos andando segundo a Sua vontade, ainda que não tenhamos uma sensação para nos assegurar a direção na qual caminhamos. Essa confiança é o que nos dá a segurança de que não naufragaremos na fé.

0 comentários:

Postar um comentário

Michel Reis.